PESQUISA

Notícias do genocídio: 89 crianças e 30 mulheres entre os mortos confirmados em Gaza

por Amálgama (06/01/2009)

press release Al Mezan, no site Electronic Intifada/5 de janeiro                       No décimo dia de sua agressão na Faixa de Gaza, as Forças de Ocupação Israelenses (FOI) aumentaram significantemente suas operações militares, atingindo principalmente alvos civis, particularmente casas. Ataques aéreos e bombas de artilharia atingiram […]

press release Al Mezan, no site Electronic Intifada/5 de janeiro

Criança em Gaza [foto: Hatem Omar/MaanImages]

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

No décimo dia de sua agressão na Faixa de Gaza, as Forças de Ocupação Israelenses (FOI) aumentaram significantemente suas operações militares, atingindo principalmente alvos civis, particularmente casas. Ataques aéreos e bombas de artilharia atingiram dezenas de casas. As FOI também atingiram instalações médicas e ambulâncias. Uma equipe da Defesa Civil foi alvejada enquanto tentava apagar o incêndio que se seguiu ao bombardeio de uma clínica.

A invasão terrestre das FOI na Faixa de Gaza se expandiu, na medida em que tropas e tanques desembarcaram vindos do mar ao sul da Cidade de Gaza. Setenta e sete pessoas foram mortas nos ataques das FOI entre 1:00pm do dia 4 e 2:30pm do dia 5. Esse número inclui 21 crianças e nove mulheres. Além disso, uma equipe de resgate médico foi morta durante o mesmo período. Dezenas mais foram feridos, a maioria civis. Atacar bens e pessoas protegidas representa flagrante indiferença às regras do direito internacional que dizem respeito a conflitos armados; particularmente enquanto porta-vozes do exército e do governo israelenses continuam a afirmar que as FOI atingem apenas a infraestrutura militar e combatente.

Aviões israelenses dispararam 15 mísseis ao redor da escola do Colégio Omar Ibn al-Khattab, em Beit Lahia, não muito longe de onde estão as tropas terrestres israelenses. Não recebemos ainda nenhum informe quanto à existência de vítimas.

Às 5:50pm aproximadamente do dia 4 de janeiro, aviões israelenses dispararam mísseis na mesquita Mosab Ibn Omair, em Beit Lahia, norte da Faixa de Gaza, matando três homens. Eles foram identificados como:

– Mohammed Khader Hamouda, 19 anos;
– Ala Zaqout, 28 anos;
– Mohammed Hassan Baba, 30 anos.

Outras quatro pessoas ficaram gravemente feridas nesse ataque.

Também no dia 4, aproximadamente às 7:20pm, um míssil foi disparado na casa da família al-Shrafi, no meio do campo de refugiados de Jabaliya, matando o proprietário, Samir al-Shrafi, 47 anos. A casa teve vários danos e houve um início de incêndio.

Às 8:00pm aproximadamente, as FOI bombardearam com armas pesadas os prédios al-Nada e al-Awda, norte da Faixa de Gaza, matando Iyad Nabil Saleh, 17 anos, que estava dentro de casa. Vários outros moradores também ficaram feridos; entretanto, Al Mezan não teve acesso a mais informações. Moradores dos dois prédios tiveram que evacuar de suas casas e refugiar-se junto a parentes no campo de Jabaliya, ou em uma escola da Agência das Nações Unidas para Refugiados Palestinos (UNRWA, na silha em inglês) nas redondezas.

Cinco minutos depois, as FOI dispararam granadas na casa de Zyad al-Kafarneh, no leste da cidade de Beit Hanoun (norte de Gaza). O pai e quatro filhos, que estavam dentro da casa, ficaram feridos.

(…)

Às 8:00am do dia 5, as FOI abriram fogo contra o bairro de Tal al-Zatar, norte de Jabaliya. Bombas atingiram casas e causaram sérios danos às casas de Mousa Abu Jasser, Ashraf Salha, Abdul-Rauf al-Mabhoh, Zaki al-Khlout, Ahmed Awad, Nasser Shamyieh e Issam Filfil.

Às 8:45am, uma bomba de artilharia caiu próxima a um velório no sul de Beit Hanoun, matando três pessoas. Elas foram identificadas como:

– Arafat Mohammed Abdul-Dayim, 10 anos;
– Mohammed Jamal Abdul-Dayim, 25 anos;
– Nail Yousef Abdul-Dayim, 30 anos.

Dez outros civis também ficaram feridos nesse ataque, três dos quais seriamente.

(…)

Às 10:00pm do domingo, fontes médicas anunciaram a morte de Mohammed Akram Abu Harbid, 18 anos, que fora ferido em um ataque aéreo em Beit Hanoun.

Às 11:30pm do domingo, aviões israelenses atacaram a casa de Zyad al-Nimir, no bairro de al-Zeitoun, leste da Cidade de Gaza, matando quatro dos moradores e parentes que faziam uma visita. Duas das vítimas eram crianças. As vítimas foram identificadas como:

– Ayah Zyad al-Nimir, 8 anos;
– Akram Zyad al-Nimir, 18 anos;
– Asmaa Afana, 12 anos;
– Ayman Afana, 25 anos.

Às 11:45, também no domingo, as FOI jogaram uma bomba de artilharia dentro da casa de al-Habbash, que fica localizada no bairro de al-Tuffah, nordeste da Cidade de Gaza, matando duas crianças:

– Israa Nasser al-Habbash, 13 anos;
– Shaza al-Abed al-Habbash, 10 anos.

(…)

Às 12:40am da segunda-feira 5, aviões israelenses bombardearam com três mísseis uma clínica administrada pela União dos Comitês de Saúde. A clínica, que fica localizada no oeste da Cidade de Gaza, foi destruída.

Depois, às 1:30am, aviões israelenses bombardearam a casa de Ameer Abu Aisheh, 40, num campo de refugiados no oeste da Cidade de Gaza. O homem e sua esposa, Sabah, 39 anos, e seu filho, Ahmed, cinco anos, tiveram morte imediata. Al Mezan também recebeu notificações de que outras cinco pessoas dessas mesma família estavam sob os escombros de outra construção. Estas foram identificadas como:

– Naheel Abu Aisheh, 30 anos;
– Ahmed Ameer Abu Aisheh, 5 anos;
– Hussein Ameer Abu Aisheh, 12 anos;
– Mohammed Ameer Abu Aisheh, 8 anos;
– Ghaydaa Ameer Abu Aisheh, 6 anos.

Às 7:00am do dia 5, um avião israelense atacou a casa de Talal al-Sammouni, que está localizada no bairro de al-Zeitoun, leste da Cidade de Gaza. Três crianças morreram no ataque. Elas foram identificadas como:

– Ahmed Atyieh al-Sammouni, 4 anos;
– Mohammed Hilmi al-Sammouni, 8 meses;
– Ameer Atyieh al-Sammouni, 5 anos.

Al Mezan reportou que ao menos sete civis, incluindo cinco mulheres, ainda estavam sob os escombros. Eles foram identificados como:

– Atyieh Hilmi al-Sammouni, 48 anos;
– Talal Hilmi al-Sammouni, 55 anos;
– Rahma Mohammed al-Sammouni, 18 anos;
– Latifa Abdul-Rahman al-Sammouni, 60 anos;
– Maha al-Sammouni, 20 anos;
– Hanan al-Sammouni, 30 anos;
– Safaa al-Sammouni, 23 anos.

Eles não podiam ser resgatados devido aos ataques das FOI na área e à ausência de equipamento necessário para remover os escombros. Além disso, o continuado ataque das FOI a equipes de ambulância ameaçava os esforços de resgate.

(…)

 
tradução: Daniel Lopes. para ler a íntegra no original, clique aqui.

Amálgama

Site de atualidade e cultura, com dezenas de colaboradores e foco em política e literatura.