PESQUISA

por Jean Garnier – O Mundo Imaginário do Doutor Parnassus (em cartaz) é um filme que certamente ficará marcado mais por um acontecimento durante as filmagens do que pela história em si. Não que não possua brilho, muito pelo contrário, mas quando o ator Heath Ledger morreu, deixou a obra inacabada. Para aumentar ainda mais […]

por Jean GarnierO Mundo Imaginário do Doutor Parnassus (em cartaz) é um filme que certamente ficará marcado mais por um acontecimento durante as filmagens do que pela história em si. Não que não possua brilho, muito pelo contrário, mas quando o ator Heath Ledger morreu, deixou a obra inacabada. Para aumentar ainda mais a expectativa, o Coringa representado por Ledger em Batman: O Cavaleiro das Trevas ganhou o Oscar como ator coadjuvante.

O longa retrata a Inglaterra atualmente, na qual um senhor chamado Parnassus (Christopher Plummer) é um showman decadente que viaja por diversas cidades levando a sua companhia teatral batizada de “Imaginarium”. A trupe oferece aos espectadores experiências inesquecíveis e desafiadoras, que acabam sempre indo para o lado moral da vida, seja na ganância, seja na depravação total. O problema é que Parnassus esconde há anos um segredo: todo o poder que possui foi conseguido através de um pacto que fez com o diabo, Senhor Nick (Tom Waits), que resolve aparecer e cobrar a dívida: Valentina (Lily Cole), a filha do Doutor que está para completar 16 anos e que foi prometida ao diabo quando atingisse essa idade.

-- Lily Cole em cena --

Desesperadamente, Parnassus busca uma solução e propõem um novo pacto: Valentina será daquele que conseguir seduzir cinco almas primeiro. No meio da sua empreitada, conhece o vigarista Anthony Shepherd (Ledger) pendurado na ponte Blackfriers. Shepherd se junta ao grupo, reclama que eles são muito arcaicos, sugere mudanças e começa a levar o público a mundos paralelos enquanto foge da máfia russa. Durante as inclusões ao mundo mágico, Shepherd também se transforma, para isso foram escalados os atores Johnny Depp, Colin Farrell e Jude Law para substituir Ledger. Em outras cenas foram utilizadas a técnica CGI para finalizar a obra.

O diretor Terry Gilliam (“As aventuras do Barão Münchhausien” e “Os Doze Macacos”) conseguiu trabalhar em torno da tragédia que assolou o seu elenco, fazendo com que o enredo permitisse em momentos distintos a participação de outros atores assumindo o personagem Shepherd. Assim como Tim Burton (Alice no País das Maravilhas), os filmes de Gilliam às vezes passeiam pelo lado bizarro da fantasia, e por outras pela personificação da loucura. O Mundo Imaginário… consegue percorrer ambos os caminhos e, se é o que procura, irá se divertir!

[veja o trailer]

Amálgama

Site de atualidade e cultura, com dezenas de colaboradores e foco em política e literatura.