PESQUISA

Feliz Dia dos Solteiros, por que não?

por Amálgama (12/06/2009)

por Dênis Sepol * – Sim, sim, por que não? Mas coitado do editor deste cada vez mais prestigiado site, mui amigo meu. Me encomendou, embora a troco de nada, um texto sobre os namorados. Na certa pensava que ia ter algo com “dia dos namorados” no título, para assim poder posicionar melhor o post […]

por Dênis Sepol * – Sim, sim, por que não?

Mas coitado do editor deste cada vez mais prestigiado site, mui amigo meu. Me encomendou, embora a troco de nada, um texto sobre os namorados. Na certa pensava que ia ter algo com “dia dos namorados” no título, para assim poder posicionar melhor o post nas buscas do Google. Pois taí um “dia dos solteiros”. Pega. Toma.

Baita preconceito. No mundo, há mais solteiros do que namorados. Dir-se-á, com verdade, que entre a população menor de idade ocorre o inverso, porque a molecada de hoje anda assanhada. Mas, no mundo maioral, há muito, muito mais gente solteira que namorando. Mesmo o menino que começa a namorar com uma menina, ambos aos 14 anos, quando chegam aos 18, separam-se. Vão apenas “ficar” com transeuntes das mais variadas e exóticas formas e gostos. Ela, segue pra alguma faculdade de moda. Ele, segue pra alguma faculdade da moda. Concentram-se em suas carreiras. Eventualmente transam (um com o outro ou um e outro com outros). Têm casos rápidos com milhares de parceiros por ano, mas não conseguem mais encetar um relacionamento sério. Se você tem namorado ou namorada, me perdoe – estou falando apenas pela maior parte da humanidade.

Sou partidário da adoção de um Dia dos Solteiros. Puta vacilo ainda não terem criado. Poderia até mesmo se situar dois dias antes do Dia dos Namorados. Então imaginem: todo mundo ia dar presentes para amigos e amigas, na esperança de, dali a dois dias, estarem num estágio já avançado, namorando. Duas farras de arromba(r) em um curto espaço de tempo. Você presentearia não apenas aquela garota que está na mira faz tempo (mas há menos de um ano), como também várias outras colegas (porque nunca se sabe, né?…).

Seria gastar muito dinheiro, você diz. Mas quanto à adoção do Dia dos Solteiros você não tem voz. Isso é com os empresários, que lucrarão bastante com mais essa data comemorativa. Eles que importam; se eles adotarem o dia, você gastará mais algum trocado, não se preocupe.

Os principais obstáculos de ordem, digamos, tática à minha proposta não demoram a aparecer. De acordo com os meus conhecimentos (e eu conheço bastante de solteiros e solteirice), mais da metade dos desenlaçados não tem orgulho de sua condição, que alguns encaram mesmo como uma praga (não necessariamente um encosto, mas ainda assim algo bastante desconfortável). “Antes mal acompanhado do que só” é um lema que estão sempre, como dizer de outra forma, namorando. Alguns simplesmente não se imaginam entrando numa loja dias antes do Dia dos Solteiros e escolhendo presente para umas amigas ou amigos. Temem o olhar das vendedoras: “Coitado… Noto mesmo uma quantidade de espinhas acima da média… E ainda vai parcelar a compra em 6 vezes…”

Temem a comiseração das pessoas dentro dos ônibus, na volta para casa após as compras. Temem que até mesmo alguns idosos se ergam para dar-lhes acento numa lotação lotada (!).

Mas pense melhor: você estará comprando presentes também há poucos dias do Dia dos Namorados. Sempre poderá dizer aos vendedores, e mesmo aos familiares, que está comprando já o presente para a namorada ou namorado, porque você é um cara ou uma cara prevenida e antecipada. Se estiver comprando bugigangas para várias pessoas, poderá dizer que, sabe como é, ter um namorado ou namorada apenas é coisa do passado… sempre tem as amantes e agregados e parasitas… Virtualmente nenhum vendedor acreditaria em você, mas pelo menos disfarçariam mais o olhar.

Cumprirá tomar alguns cuidados na hora de comprar presentes para o Dia dos Solteiros. Por exemplo: enquanto perfumes e roupas são os itens que mais saem nas vésperas do Dia dos Namorados, no dos Solteiros esses bens devem ser evitados. O raciocínio é lógico: o Dia dos Solteiros existirá para sanar a alta baixo-estima dos presenteados (e a própria) e dar uma chance a eles (e a si próprio) de, se as coisas convergirem bem, desencalharem; o Dia dos Solteiros não existirá para constranger os amigos e amigas possíveis futuras (de preferência dali a dois dias) namoradas. E imagine você chegar com um perfume ou uma blusa para presentear uma colega no Dia dos Solteiros – ela poderá pensar que você está fazendo referências nada sutis ao seu odor ou seu modo de vestir como causas de sua (dela) solteirice.

Assim como quem está apaixonado costuma ver flores nascendo até no estrume (e nasce mesmo, vocês já viram?), alguns solteiros são velhacos mesmo diante das melhores intenções. Melhor não arriscar. Prefira chocolates e outras delícias que quanto mais se come, mais se quer.

* Dênis Sepol tem sobrenome que lembra alguma extinta linhagem francesa (ou lembra remédio, segundo maledicentes), mas o Dênis não passa de um piauiense nascido em Uruçuí e hoje morador de Nagasaki, Japão, onde trabalha com engenharia de bombas hidráulicas. Sim, gosta de japonesas, mas ainda prefere havaianas. Talvez por isso continue solteiro.

Amálgama

Site de atualidade e cultura, com dezenas de colaboradores e foco em política e literatura.