PESQUISA

[promoção] Biografia do Bussunda, por Guilherme Fiuza

por Amálgama (17/05/2010)

E editora Objetiva oferece aos leitores do Amálgama dois exemplares de Bussunda: A vida do casseta, do jornalista Guilherme Fiuza. Os livros serão sorteados na segunda 31 de maio, via Random.org. Um será sorteado entre os leitores que deixarem comentário no blog entre os dias 17 e 30 de maio. O outro, entre os leitores […]

E editora Objetiva oferece aos leitores do Amálgama dois exemplares de Bussunda: A vida do casseta, do jornalista Guilherme Fiuza. Os livros serão sorteados na segunda 31 de maio, via Random.org. Um será sorteado entre os leitores que deixarem comentário no blog entre os dias 17 e 30 de maio. O outro, entre os leitores que recebem nossas atualizações no e-mail (se você ainda não recebe, clique aqui para se cadastrar).

*

SINOPSE
Quando a carreira dos futuros integrantes do Casseta & Planeta começou a engrenar, Claudio Manoel perguntou para Bussunda que sonho de consumo ele ia realizar primeiro se ficasse rico. “Eu quero ter 40 mil pares de sandálias Havaianas”, afirmou o humorista, sem hesitar.

A resposta diz muito sobre a personalidade de Cláudio Besserman Vianna, nome real de Bussunda, e explica porque ele se tornou uma das figuras mais amadas do Brasil, conquistando pessoas de todas as idades e classes sociais. Eleito o pior aluno da universidade, o que considerava motivo de orgulho, durante um período o comediante chegou a quase não ter dinheiro para comer e andar de ônibus. Quando o sucesso veio, porém, ele continuou o mesmo sujeito simples e debochado de sempre.

Além de traçar um perfil revelador de Bussunda, Guilherme Fiuza reconstitui aqui o nascimento do Casseta & Planeta, relatando a trajetória de seus outros integrantes. Egressos dos jornais humorísticos Casseta Popular e Planeta Diário, eles se aproximaram quando foram chamados para escrever um programa que virou a televisão brasileira de cabeça para baixo: a TV Pirata.

O que emerge do livro é um retrato definitivo de um personagem único, que arrebatou o país com seu jeito anárquico e, ao mesmo tempo, extremamente doce.

Objetiva, 2010, 408 páginas

Amálgama

Site de atualidade e cultura, com dezenas de colaboradores e foco em política e literatura.