PESQUISA

O petismo é um frigorífico com carne estragada

por Daniel Lopes (17/03/2017)

O submundo que antes vagava com o slogan “O Pré-Sal é do Brasil” faltou foi adotar nesta sexta-feira a hashtag #aCarnePodreÉnossa.

Se para você ainda não estava claro, agora deveria estar.

Toda aquela tonelada de críticas à Lava Jato vinda do complexo midiático-intelectual petista continha uma boa dose de insanidade – ao mesmo tempo causa e consequência da defesa insaciável de políticos e de um projeto criminoso de poder.

O panegírico a um José Dirceu, é verdade, usualmente tinha o desespero racional de acadêmicos e jornalistas que ao longo da vida apostaram todas as fichas em um partido político, e não saberiam viver se tivessem que fazer outra coisa. Mas a dose de insanidade sempre esteve ali, cada vez mais evidente à medida que Mensalão se transformava em Petrolão, e agora absurdamente às claras com o, digamos, Churrascão.

Não interessa que os partidos inicialmente atingidos pela ação de hoje da Polícia Federal tenham sido os “golpistas” PMDB e PP. A verborragia anti-justiça do petismo se tornou ato reflexo.

O costume de acusar a PF, o Ministério Público e, no geral, as forças da lei como inimigas do povo brasileiro não morreria fácil. E o submundo que antes vagava com o slogan “O Pré-Sal é do Brasil” faltou foi adotar nesta sexta-feira a hashtag #aCarnePodreÉnossa.

LEIA MAIS  A lista de Fachin e os malefícios do estatismo

Os cientistas dos anos 1980 só puderam ficar impressionados com as alterações mentais da Vaca Louca porque ainda não era possível conhecer o Petista Louco.

Renato Rovai na revista Fórum: “Depois de entregar Pré-Sal, esquema PF e MP pode quebrar frigoríficos nacionais”. Luis Nassif em seu site: “A República do Paraná prepara-se para destruir outro setor econômico”.

Sim, todos os jargões estão aí. Quem não lembra do “esquema” PF e MP desempregando milhares de trabalhadores da construção civil? Como esquecer a “República de Curitiba” destruindo o orgulho representado por nossas empreiteiras multinacionais?

Se politicamente o petismo se reduziu a uma vertente criminosa do nacional-desenvolvimentismo, intelectualmente ele já não passa de uma versão mentalmente empobrecida do mesmo.

E não estamos falando apenas dos Rovais e Nassifs, que correspondem, na imprensa, à linguiça com carne de cabeça de porco. André Singer defendendo na Folha a candidatura de Luiz Inácio em 2018 é, talvez, apenas um pouco melhor que carne misturada com papelão.

Daniel Lopes

Editor da Amálgama.



avatar
BRUNO LUIZ K.
BRUNO LUIZ K.

“André Singer defendendo na Folha a candidatura de Luiz Inácio em 2018 é, talvez, apenas um pouco melhor que carne misturada com papelão”

Já fez meu dia melhor;

Antero
Antero

A Odebrecht e demais construtoras fazem doações milionárias.

ADALBERTO DE QUEIROZ
Daniel. Excelente texto com “carne” sadia – i.e., “a carne das palavras”. Afinal, como na piada do marido traído, o petê sempre prefere mandar vender o sofá. Há um vídeo correndo nos comunicadores pessoais (messenger, what´s app etc.) em que um rapaz com sotaque de Minas defende a tese de que dessa vez é a infiltração dos EUA no Judiciário e na PF. E, naturalmente, para o cabeça de bagre,… Leia mais »
wpDiscuz